sexta-feira, 2 de agosto de 2013

A barreira do consumo de midia digital entre TV e internet foi quebrada


O dado é inédito: nos Estado Unidos, as pessoas que consomem mídia digital ficam mais tempo na internet do que na televisão. De acordo com estudo realizado pelo eMarketer, o americano médio gasta 4 horas e 40 minutos do seu dia na internet - entre dispositivos móveis e desktops - superando o tempo gasto assistindo TV, de 4 horas e 31 minutos.

Apesar da diferença apertada, a relevância dos números se dá por conta de uma tendência constatada a partir de 2010. A popularização da internet móvel e dos aparelhos mobile é o marco crucial para esta mudança de comportamento do público americano. E temos razões para acreditar que o mesmo ocorrerá por aqui.

Para se ter uma ideia da velocidade desta mudança, em 2010, a eMarketer apurou o tempo gasto pelo americano médio na internet usando celulares. O resultado foram modestíssimos 24 minutos. Ou seja, em três anos, este tempo aumentou mais de cinco vezes.

No Brasil, o mercado de tablets e smartphones cresce a uma taxa vertiginosa. Dados da empresa Flurry, especializada em análise de mercado mobile, em abril deste ano constatou que o número de aparelhos dobrou nos últimos 12 meses - isto mesmo, 100% de aumento. Crescimento muito semelhante, aponta a Flurry,  também ocorreu nos outros países do BRIC (Rússia, Índia e China). Nos demais países da América Latina e da África o crescimento do mercado mobile foi menor, porém não menos significativo.

Talvez a revolução da internet móvel repita com a televisão o mesmo que ocorreu com a mídia impressa onde revistas tradicionais, como a Newsweek, e jornais centenários, como o brasileiríssimo JB, simplesmente deixaram de existir fisicamente e migraram integralmente para os bytes da Grande Rede.



Fonte: Mashable , eMarketer Exame