quarta-feira, 26 de junho de 2013

Você não tem que gostar de arte moderna, mas ajuda quando você a entende


Quando John Cage lançou 4'33", uma peça de música silenciosa, houve muita consternação. Anos depois, ainda é fácil fazer piada sobre o absurdo de uma peça de música que consiste em quatro minutos e trinta e três segundos de silêncio.

E quando as primeiras empresas na internet propuseram o GRÁTIS como modelo de negócio (e-mail grátis, rede social grátis, etc.) e começaram a ganhar a atenção de investidores, houve ainda um coro mais alto por parte daqueles que protestaram.

Quando (parte do) seu mercado abraça um NOVO que não faz nenhum sentido para você, é essencial que você entenda o ponto de vista que está levando as pessoas a se envolver com esta nova ideia. Não, você não tem que torcer por ela, coleciona-la, apoia-la ou fingir que você acha ser ela a ideia mais inovadora do mundo. Mas sim, você provavelmente precisa entender porque outras pessoas ficaram sensibilizadas, inspiradas ou encontraram algo que valha à pena falar à respeito.

Você pode me explicar por que algumas pessoas esperam na fila por um carro ou num novo restaurante? Você compreende por que determinada pessoa está sendo comentada na internet ou por que foi promovida no trabalho? Faz sentido para você que está tela custe cinco vezes mais do que aquela outra?

Denegrir a arte que você não entende não afeta a arte - isto revela algo sobre a sua boa vontade em aprender.

______________________
Traduzido por Silvio Luis de Sá. Texto original em Seth's Blog