quinta-feira, 18 de abril de 2013

A marca é uma hisória. Mas é uma história sobre você, não sobre a marca


Por que preferimos Coca em vez de Pepsi, GE a Samsung ou Ford a Chevy?

Em mercados onde monopólios não são coisas naturais, ou onde os mercados são livres, acordadas as métricas, como nós tomamos nossas decisões?

Sim, cada marca tem uma história - como ela veio de uma logo e um nome e se tornou uma marca. A história inclui expectativas, histórias, promessas, dicas sociais e emoções. A história nos faz dizer "amamos Google" ou "amamos Harley"... mas o que nós amamos de verdade?

Nós amamos a nós mesmos.

Nós amamos a memória que temos de como a marca nos fez sentir uma vez. Nós amamos porque ela nos faz relembrar de nossa mãe, ou do nosso crescimento, ou do nosso primeiro beijo. Nós apoiamos uma caridade ou um time de futebol ou um perfume porque eles nos dão a chance de amarmos algo sobre nós.

Não podemos explicar isto facilmente, nem para nós mesmos. Não podemos facilmente compreender o narcisismo e a nostalgia que nos leva tantas vezes a tomar decisões aparentemente racionais todos os dias. Mas isto não significa que eles não estejam lá, funcionando.

Mais do que nunca, nos expressamos com o que compramos e como usamos o que compramos. Extensões de nossas personalidades, totens de nós mesmos, lembretes do que somos ou do que gostaríamos de ser.

Grandes profissionais de marketing não criam coisas. Eles criam significado.

________________________
Traduzido por Silvio Luis de Sá. Texto original em Seth's Blog